Archive for February, 2012

Poucos de nós cresceram sem ter ouvido vezes sem conta as estarrecedoras histórias de bebés encontrados em contentores de lixo. Hoje, depois de 10 anos de cessar fogo, parece que essas histórias macabras continuam a fazer parte do nosso dia-à-dia, se calhar melhor camufladas, melhor dissimuladas, mais empurradas para as periferias, que parece todos nos habituamos a considerar como um submundo habitado por ratazanas indigentes das quais queremos distância e com quem não temos nada a ver. Só sendo de uma insensibilidade pétrea ou, convencendo-nos que esses cidadãos são sub-humanos, poderemos ficar indiferentes a relatos deste género, tão deprimentes, tão decadentes, tão desprestigiantes da nossa condição humana.

Passou-se em Cacuaco, perto da residência da tia Ermelinda que pegou no bebé e lhe tem dado o carinho e amor que a sua mãe não está capacitada para dar. É uma novela em curso e não sabemos como irá acabar, mas, para já, a criança está sã e salva.

Mensagem de solidariedade para Nyash

Posted: February 24, 2012 in Notícias

O Indymedia, centro de informação global onde os “jornalistas” são os utilizadores que dão a mais bela das utilidades a esta ferramenta chamada internet, acaba de perder um dos seus colaboradores, Nyash, Keniano, assassinado pelas “forças ocultas” que todos sabem quem são, mas calam por razões várias.
Recebemos esta mensagem da Tia Rosa Mayunga, por email, aqui a reproduzimos por inteiro e a subscrevemos inteiramente.



Existe quem tenha medo do Desenvolvimento de Afrika, Existe quem não queira um Mundo de Paz e de equilíbrio, bem como a abertura de Consciências para o Bem! Mas ele se fará mais cedo do que pensam, quer queiram ou não.

Pelo mundo inteiro estão a surgir Homens e Mulheres _ as Consciências de Justiça, Paz e Desenvolvimento, e trabalharão em conjunto, para esta Nova realidade , Espiritual, mais Humana!

Retiraram o Nyash do seu Corpo Físico, pura ignorância de quem fez esta obra maldita!

O Nyash Africano, Cidadão do Mundo, e Homem da Paz, já trabalha noutro Corpo, e a sua Obra vai continuar, até a Afrika e o Mundo vencerem todo o mal. Os (as) fazedores do mal ainda não perceberam que o Espírito não morre, e ele usa o corpo que quiser!

Viva Nyash, M`Zambi Ukatambula. Deus o receba.

Link do artigo: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2012/02/504106.shtml
Viva Quênia, Viva Afrika, Viva todos os Homens e Mulheres, lutadores(as) por um Mundo mais Justo, e de Paz.

Os meus e nossos Sentimentos,

Rosa Mayunga

(Descendente da Autoridade Tradicional de Angola/Dirigente de ONGD Afro-Luso-Brasileira)”

EPJL – Teaser

Posted: February 19, 2012 in Videos

Finalmente, praticamente um mês após a realização do EPJL, temos um primeiro cheirinho em formato vídeo para vos dar uma ideia de quão fixe foi. Tentaremos nos mais breves prazos apresentar-vos as palestras completas, mas para já fiquem com esta amostra (e não se esqueçam da Campanha para ajudar as famílias de Cacuaco).

Atualização do estado da Campanha 1

Posted: February 18, 2012 in Notícias

Amigos, até agora reunimos 61 mil kwz, faltam-nos 265495 kwz. O caminho é longo, mas obrigado aos que já doaram e esperamos que quem ainda não o fez tenha a gentileza de o fazer o mais brevemente possível. Se precisam familiarizar-se com o assunto é só consultar os posts mais abaixo que têm tratado predominantemente do “Caso Cacuaco”. Apelamos à vossa sensibilidade esperando que esta despolete o mais que humano sentimento de solidariedade que vive dentro de cada um de nós.

Avilos, a malta da Central com apoio e parceria da  ONG angolana sediada no Lobito, OMUNGA, está a querer apoiar financeiramente as famílias que viram nos vídeos anteriores (1, 2) e que tiveram de fazer das tripas coração para conseguir reunir fundos suficientes para tirar da cadeia os seus filhos injustamente condenados.

Até agora, 6 dos 8 rapazes foram libertados mediante pagamento de 40812 Kzw, mas duas das famílias não estão a ser capazes de reunir o necessário e serão portanto o objectivo primeiríssimo desta campanha: tirar os dois meninos de Kakila, sendo que um deles, Alberto Mário Emílio João, é MENOR DE IDADE (16 anos) e tem uma deficiência no braço, fruto de um osso mal solidificado que lhe deixou diminuído no uso desse membro.Mais uma arbitrariedade! Como pode um menor de idade ser julgado como um réu normal? Para que serve afinal o Tribunal de Menores?

Assim que os dois jovens estiverem em liberdade, tencionamos continuar a angariar fundos até que o último cêntimo gasto por essas famílias carenciadas esteja restituído. O objectivo final fixa-se portanto num total de 40812 x 8 = 326496 Kzw.

No vídeo abaixo, vemos Catarina Ngueve, mãe de Alberto Mário Emílio João, o menor de 16 anos. Ela é uma das mães que não consegue angariar esses fundos pois a zunga deixa-lhe uma margem de lucro de 2000 kzw, com os quais deve suprir as necessidades diárias mais elementares de casa, criando-lhe dificuldades inclusive na deslocação até a cadeia de Kakila (alta-segurança) para onde foi deslocado depois de uma passagem na Comarca de Viana.

A foto que vêm em baixo é o bordereau que prova o total que anunciamos:

Para aqueles que pretendem ajudar com valores poderão depositar na conta da Omunga, fazendo atenção que a conta seja a que corresponde à moeda usada para o depósito:

BFA
conta em Euros: 666 130331005
conta em USD: 666 130332001
conta em KZ: 666 130330001
ESTADO ACTUAL DA CONTRIBUIÇÃO: 3600 kzw (2 doadores)

O material que temos da recolha em Cacuaco ainda nos dá pano para mangas e este que agora publicamos vem na verdade na sequência de um outro sobre qual estávamos debruçados. Demo-nos conta que este relato da senhora Maria iria alongar demais o vídeo em que os familiares de alguns dos condenados falam da falta de água e energia que levou os jovens às ruas em protesto. Para já, deixamo-vos com este depoimento da mamã Maria.

Tentem manter-se indiferentes, tentem fingir que isto é só uma cena de um filme em que, no final, eventualmente, o artista sai vitorioso e os prevaricadores perecem. Continuem a fingir que não é nada convosco, que a injustiça só é sentida por aqueles que dela são vítimas diretas. Vão às vossas festas, dancem e embebedem-se, vão praticar desportos radicais e chupar caipirinhas ao por-do-sol, continuem a viver no vosso Universo paralelo do ócio e da diversão, esqueçam-se do que aprenderam sobre a teoria dos vasos comunicantes e, depois, um dia, que poderá estar ou não distante na linha do horizonte, lembrem-se do que a vossa apatia semeou, quando estiverem a colher as amarguras das suas consequências, pois, numa sociedade, a culpa não morre solteira!

O sector da saúde em Cabinda está de pedra e cal numa greve em que o preto é a cor da indumentária que simboliza o luto pela saúde moribunda promovida pelo Estado

Manuel Guilherme fala para a RFI, referindo-se à extensa lista de exigências feita pelos funcionários públicos da saúde, deixando desde logo claro que a greve só durará até que o governo cesse com a sua teimosia e aceite encetar DIÁLOGO!

Entretanto, chegam até nós alguns relatos assustadores da violência levada a cabo por alguns polícias que continuam a achar que toda a recusa em obedecer ordens, mesmo quando estas são arbitrárias, entra no quadro criminal do desacato a autoridade e, pior, acham que esse desacato pode ser respondido com pancadaria. A ser verdade, uma mulher acabou por perder o seu bebé. depois de ser pontapeada vezes sem conta por um agente da PN.

Só nos resta desejar muita força aos nossos irmãos e irmãs de Cabinda, que perseverem nas suas exigências e que não sucumbam à intimidação dos nossos carrascos.

Os depoimentos que se seguem foram recolhidos um dia antes da manifestação de dia 3 de Fevereiro. Há momentos muito intensos em que a dor, a impotência e o desamparo patente nas palavras destas famílias é de levar às lágrimas. Tanto mais foi dito, tão sábias e elucidadas palavras de simples cidadãos (alguns deles assumidamente analfabetos), tanto que não pode ser incluído num só vídeo por razões óbvias…

Alertamos desde já que este é um vídeo doloroso. É um vídeo que nos faz questionar o tipo de sociedade que temos, o tipo de governo que apoiamos, e o tipo de gente que nos mata lentamente. É um vídeo que mostra a verdadeira faceta do governo angolano. Um governo que promove o terror, que promove a dor, que promove o sofrimento, e que promove a degradação do homem angolano.

Esta é a verdadeira natureza do governo angolano. Conhecemos, mais que nunca, “o nome e a cara do mosquito que nos ferra.”

É impossível! Vamos fazer uma petição para requisitar que se reverta a toponímia de República para uma mais adequada de Reino! Nesta monarquia, reina a criminosa dinastia “Dos Santos” com os seus acólitos, esse bando de interesseiros sem ideologia, abutres que depenicam o seu pedaço da carne do povo que deixaram propositadamente apodrecer ao longo dos anos em que confundiram poder de servir com servir-se do poder. FACÍNORAS!!!

O método agora é impedir que as pessoas sequer se aglomerem num local público, agarrando grupos de jovens que identifiquem como sendo “potenciais manifestantes” e partirem logo para a porrada e detenção. Isso desencoraja os outros de se aproximarem. Hoje, apesar dos avisos endereçados aos criminosos que nos governam, OS MESMOS GORILAS DE SEMPRE voltaram a agredir-nos com FERROS e a atirar-nos para os calabouços. Sim, estamos a falar do GODZILA e do seu compadre “Fã do D’Agosto”, também chamado no seu bairro de Ti Moço, que estão cobertos por POLÍCIAS CRIMINOSOS e por isso agem indiscriminada e impunemente.

Alguns de nós deslocaram-se ao CGPN para exigir medidas vigorosas por parte daquele órgão: ou acusam os jovens de alguma infracção que lhes mereça encarceramento, ou os deixam sair em liberdade, pois, se não saíssem hoje, teriam de passar o fim-de-semana nos calabouços (amanhã é feriado). O Sr. Ambrósio de Lemos não estava lá e, mais uma vez formou-se ao nosso redor um aparato policial desproporcional e fomos tratados por alguns dos oficiais de maneira PREPOTENTE (reconhecendo a cortesia de alguns) e isso inclui o sub-comissário Paulo Francisco, director do gabinete do CG, que de maneira sobranceira tentou descartar a nossa história alegando que era “a nossa versão”, sem no entanto mover uma palha para recolher a outra.

Tentaram por diversas vezes protelar a resolução do problema porque alegaram, pasme-se, “já passou da hora do expediente e esses casos exigem tramitações administrativas”. MAS ISSO É SÉRIO MESMO?

Tivemos de fazer um finca-pé que não iremos detalhar aqui por ser muito longo, mas em resumo, queriam expulsar-nos do recinto dizendo-nos para voltar na QUARTA-FEIRA para falar com Ambrósio de Lemos porque eles não poderiam fazer nada. MAS FIZERAM porque nós não arredamos pé,  tentando arrancar alguma lógica do discurso confuso e embrulhado de um dos oficiais graduados que durante uns minutos foi nosso interlocutor. Enquanto conversávamos, havia agentes que agitavam “não fala mais com eles, vamos já acabar com isso e tirá-los daqui!”

AS VOSSAS ACÇÕES IRÃO EVENTUALMENTE DESPERTAR A IRA DOS OPRIMIDOS E NESSE DIA NÃO HAVERÁ SINFOS SUFICIENTES PARA NOS BATER E NÃO HAVERÁ GENERAIS SUFICIENTES PARA VOS SALVAR O COURO. NÃO HÁ MAL QUE DURE PARA SEMPRE, PREPAREM-SE PARA SEREM JULGADOS PELOS VOSSOS CRIMES, NÃO VENHAM DEPOIS CHORAMINGAR POR PERDÃO!