Quando a liberdade de pensamento merece represália: o calvário do MCK

Posted: May 13, 2012 in Denúncia, Direitos, Direitos Humanos, Luanda

Sou amigo do Katró há muitos anos, muitos mesmo, praticamente metade das nossas vidas. Conhecemo-nos na adolescência quando eu fazia um programa de rádio na LAC (A Era do Hip Hop) e ele me levou a sua maquete “Casos da Cidade” (“eu ia em gás/com uma perna frente e outra atrás/ tava eu em brasa a sair do Kiluanji”). Desde os primeiros minutos que me provocou as mais sinceras e desgarradas gargalhadas com as suas rimas. As nossas trajetórias, embora com algumas diferenças naturais, tocam-se em vários pontos, de convivência, troca de ideias, episódios que vivemos juntos, a presença em momentos cruciais e definidores de rumo, o que foi cimentando uma cumplicidade fraterna, cada vez mais forte.

Rasgão no pneu do Range Rover conduzido pelo Kapa

Há duas semanas ele procurou-me, como fez tantas vezes ao longo destes 16 anos, para desabafar acerca de alguns episódios turbulentos por que tem passado, pedir-me a minha opinião, ouvir sugestões. Mostrou-me o pneu do seu carro-de-luxo rasgado meio palmo acima da jante, na parte lateral e perguntou se eu achava que podia ser alguma coisa da estrada, ou que tivesse encostado por azar num objeto cortante sem dar conta. Por mais que eu tentasse dobrar as leis da física não consegui conceber acidente provável, para mim aquilo era mesmo sabotagem! Aqui têm a foto para que possam tirar as vossas ilações e, quiçá, ajudar-me com a física que pode já estar enferrujada (ou tendenciosamente nublada).

Partindo do princípio que seria sabotagem, passámos a elaboração de teorias, tentando inicialmente fugir à mais simples, mais óbvia, a da conspiração. Quem? Quando? Aonde? Porquê? Que tipo de inimigos uma pessoa como o katró pode ter para inspirar este tipo de ação destrutiva? Poderia ser algum fã desgastado com o que interpretaria serem “as contradições do kapa”? “Um artista do povo, não pode andar numa máquina que coaduna com a opulência do opressor” tipo de pensamento? É até possível, isto dar-nos-ia resposta as duas questões mais importantes e, no universo das probabilidades, não deveria ser descartado como sendo uma delas. Outra, mais forte, seria a de um eventual ex-namorado ciumento achar que o kapa tem uma relação de proximidade reprovável com alguém que consideram ser sua propriedade e, vai daí, facada no seu pneu, para ele aprender a não ser mais o pássaro agoirento que vem estragar relacionamentos. Haverá outras possibilidades, incluíndo até a mais remota, de um vagabundo qualquer ter simplesmente raiva a quem tenha dinheiro para comprar um carro de uma centena de milhar de dólares e ter calhado o azar nesse dia de cruzar com o popó do katró, sem sequer saber de quem era. Ficámos com a pulga atrás da orelha, pois, apesar de todas as hipóteses levantadas, seria ingénuo descartar a da intenção de “alguém” lhe querer enviar um “recado” sem palavras, uma intenção em tudo similar a do arrombamento que sofreu no dia do lançamento do seu disco.

Porta Arrombada

A certeza veio porém na semana passada, quando o kapa recebeu o telefonema de uma amiga, muito nervosa, contando-lhe um episódio de contornos macabros, parecido com o que viveu a minha namorada no ano passado.

Kaenche burro! Caxico!

A rapariga contou-lhe que tinha a nítida impressão de haver movimento estranho na sua rua no instante em que meteu o pé (o

carro) fora de casa.

Rapidamente se apercebeu que estaria a ser ostensivamente seguida por um Nissan Patrol dos antigos (quando era ndengue chamavam “garoupa”) de cor vermelha, pois andou às voltas pelo bairro para tirar a prova dos nove. O carro tinha as chapas de matrícula tapadas com sacos pretos e num instante, os bisontes passaram a ação. Um segundo carro bloqueou o caminho à rapariga pela frente, o Patrol colocou-se em viés por detrás e ela viu-se forçadamente imobilizada. Nisto, saiem dois indivíduos bem alimentados do Patrol, com chapéus e óculos escuros, tal qual este daqui:

Aproximam-se do vidro do carro da rapariga, compreensivelmente apavorada, mostram-lhe as armas e sinalizam-lhe para que abra a porta do carro, ao que ela, obviamente, acede. Eles entram no carro e proferem simplesmente as palavras: “diz ao teu amigo para parar o que está a fazer, agora!”. Dito isto, deram a sua missão por concluída e desapareceram tão depressa quanto chegaram.

OK, então, pelos vistos, a teoria da conspiração não era assim tão descabida. A questão agora era saber “o quê” exatamente anda o katró a fazer que tenha de “parar já!”, subentendendo o “caso contrário…”

Vamos analisar as atividades do jovem artista desde 2011 até agora e ver juntos, o que é que incomoda tanto essa gente que não está habituada à convivência com o contraditório:

  • 13 Abril, encontra-se com Angela Merkel, Chanceller alemã, onde aborda abertamente as mesmas questões que refere insistentemente nos seus discos: justiça social, paz no prato e espancamento à manifestantes no exercício das suas liberdades fundamentais.
  • 08 de Setembro 2011, o kapa apresenta-se por iniciativa própria em frente ao Tribunal de Polícia onde um aglomerado de pessoas protestavam contra o julgamento ilegal dos manifestantes de 3 de Março. Torna clara e pública a sua posição em relação ao “assunto quente do momento”, o assunto ao qual a sociedade e os opinion-makers se têm furtado, para não atrair sobre si a ira do camarada “ordens superiores”.
  • 18 de Dezembro, lança o seu disco “Proibido Ouvir Isto”, recheado de mensagens alertando para o estado de precariedade social à que estamos votados e denunciando as manobras maquiavélicas de um regime que, apesar de vestir o fato e gravata de diplomata democrata, revela incessantemente a sua verdadeira mentalidade totalitária.

Já em 2012,

  • Entrevistas à órgãos de comunicação social estrangeiros, como a Deutsche Welle, VOA e em Lisboa, ao Jornal Público, à Lusa e ao Semanário Sol (que apesar de ter distribuição pelos PALOP teve a sua entrevista “barrada” na edição angolana, saindo apenas em Moçambique. Mas aqui têm o pdf para vosso deleite.)
  • 24 Abril, encontra-se com Durão Barroso, na mesma linhagem do que fez com Angela Merkel, entregando desta vez um DVD com um documentário que resume o ano de 2011 em manifestações (brevemente online). Esse encontro deu origem a uma nova matéria no Semanário Sol, desta vez a local.
  • Entrevista à manifestantes (ver vídeo abaixo)

Não sendo nenhuma destas atividades ilegal num país democrático de direito, impõe-se a pergunta aos covardes mascarados de homens: Qual dessas coisas ele tem de parar de fazer já?

No seguimento dessa demonstração de opulência, outro pneu aparece sabotado e, apesar da insistência em incluir na lista de probabilidades um lancil inconveniente,eu continuarei a descartar o posicionamento da relativização pois, ia ser muita coincidência acumulada: uma calamitosa falta de destreza ao volante e um lancil bem pontiagudo, sobretudo tendo em conta as ocorrências registadas anteriormente.

Outro pneu!

Katró meu dreda, sabes que gostaria muito de te ter connosco a levar puretes que “doem na carne mas não desfazem ideias”, mas na falta disso, agradeço-te e estimo-te bwé por manteres a tua coerência, por não te sentir hesitar um segundo na hora de responder perguntas acerca deste tema, por, de certa forma, seres um porta-voz das nossas aflições que também são tuas e por não te deixares vergar à pressão, preferindo denunciar do que omitir. Tamos juntos meu irmão!

Luaty Beirão

Comments
  1. Meu deus proteja este compatrióta Angolano que nunca cometeu nada neste País chamado Angola Sangrento,Onde o senhor Pedra acha que somos própriedade dele,Realmente estou preplexo com isto que aconteceu com mano Katro eu pessoalmente acho que são os homens mandatados pelo senhor Pedra ou seja JES,estes senhores que tem o Cerebro amarado com geço tem uma mentalidade muito Curta,Também não se espera outra coisa afinal nunca tiveram habituados com a diversidade de opinião meu irmão Katro tenha calma deus vai operar estes megálomanos não vão conseguir te derrubar o povo angolano esta completamente farto deles chegou a horas destes camaradas força força força força meu mano Katro.Tenho dito e muito obrigado

  2. brutal mc says:

    não é facil meu bró catro, agente esta contigo nesta luta, eles estão a ver o fim e querem levar tambem as pessoas que querem o bem o desenvolvimendo da banda…

  3. Itamar Gonsalves says:

    Meu mano, Katró, estamos juntos nessa

  4. Itamar Gonsalves says:

    Não penses que estás sozinho, vc conhece os teus fieis, desde o programa Circuito fechado até o lançamento do tão esperado Disco Proibido ouvir isto, não só por esses motivos, mas pelos vastos e enumeros conhecimento que carregas.Paz Irmão…………..

  5. heralde says:

    só acho estranho ele andar de ranger mas como não sei qual é o motivo para tal e nem de onde veio o tal ranger é melhor deixar quieto.

  6. nao estas sozinho meu mano katro……paz irmao

  7. Conheceis a verdade e a verdade e a verdade nos libertara, Deus e por nos Nigga Katro

  8. Danilson ou Deny Mc says:

    Mano força podes contar com agente

  9. Kianguebeni Adolfo Garcia says:

    O mundo muda a cada gesto teu , se parares iras de contribuir na desorganização .
    A verdade não engana não te deixe enganar Angola e nosso pais, Angola e do povo

  10. hernan says:

    tu es forte mano continua,vai em frente

  11. victorino Abias says:

    quem nao aprende a proteger sua emoçao e a governar seus pensamentos,tem chances reduzidas de ser feliz,tranquilo e sabio…( Augusto cury ) penso que varios angolanos como o kanche burro,.. deviam, perguntar ao chefe afinal esse moço ( MC K ) fez oque de errado pra lhe oprimir…isso e mbandalho…

  12. victorino Abias says:

    tudo que acontece aqui me doi porque sou hiper sensivel, coragem k porque to contigo nessa luta bro, paz e amor ….

  13. […] O nosso Diaraby dá-nos nada mais do que podemos esperar dele, uma mistura cada vez mais apurada e refinada entre critica mordaz, implacável, sem pinças ou paninhos quentes, que escarafuncha a ferida, e um humor deliciosamente infantil que tempera o tom, fazendo com que seja praticamente impossível levá-lo a mal, exceptuando deste rol de pessoas civilizadas, as bestas quadradas que inspiraram o recente artigo que escrevi sobre ele e que poderão consultar aqui. […]

  14. Forca MCK nesta luta por uma Angola democratica e para os angolanos. one love estou e estamos contigo. Viva Angola para os Angolanos…. vc e’ forte nao tens talanto pra ser fraco, Deus e o povo te protegera’…

  15. brutal mc says:

    ya mano catros daqui fala teu bró Brutal Mc, quero em parte te agradecer por seres quem es, e por incentivares o pessoal a pensar como gente e a por os neuronios a funcionar, em parte tamben quero te deseja força e sucesso porque o pais precisa de pesoas como tu como eu e como ele, o pais é nosso, o pais presisa de nós (ANGOLANOS) a sena esta a melhorar apesar de ainde ter visto jovens na ipocresia do sistema. brothe força e muito sucesso, one.

  16. david mendes says:

    katro simplesment o pai da revolucão musical em angola

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s