Os 16 lugares e a manifestação

Posted: May 20, 2012 in Argumentos, Luanda, Manifestações, Opinião

O dia 19 de Maio de 2012 foi marcado por uma histórica manifestação do maior partido da oposição em Angola, a UNITA. Ao contrário das famigeradas manifestações e maratonas do partido da situação, a UNITA não recorreu a subterfúgios para mobilizar os jovens. Não vimos na manifestação da UNITA as habituais e “inspiradoras” cucas a 25 kwanzas que fazem tanto sucesso entre os seguidores do M. Foi um acto de massas, digno de um grande partido político, que serviu também para mostrar a sociedade angolana a força deste partido que, contrariamente ao que muitos fazedores de opinião do sistema têm propagado, continua com muitos simpatizantes e muita energia anímica para revitalizar e marcar pontos no cenário político angolano.

É verdade que para muitos angolanos, também para nós centraleiros, a UNITA de Samakuva mostrava, num passado não muito distante, falta de garra política. No nosso entender, a falta de garra política traduz-se na incapacidade de criar factos políticos que galvanizassem o povo angolano despertando-o, cada vez mais, para a realidade social atípica, na qual, o MPLA, que se crê dono e senhor de Angola, continua imparável na sua errática trajectória governativa em direcção ao abismo.

Era deveras decepcionante, constatar que a falta de garra politica da UNITA estava aliada a um conjunto de problemas internos que pareciam intermináveis. Parece que por lá as águas estão mais tranquilas. Supostamente, a paz “espiritual” voltou a reinar naquela “casa” após a decisão de Abel Chivukukuvu de construir a sua própria CASA. Felizmente, os últimos factos políticos significativos protagonizados pelo Galo Negro mostram uma UNITA mais acutilante e mais interventiva em diversos espaços mediáticos e geográficos de Angola e do Mundo, o que configura uma nova forma de actuação perante à hegemonia do MPLA nos meios públicos de comunicação social de Angola que, depois da abordagem que deram à manifestação da UNITA, já não temos mais dúvidas, continuam completamente à margem de qualquer ética jornalística que se preze.

O Isaías Samakuva tem dando nos últimos tempos o ar da sua graça. Tem estado a se comportar como um verdadeiro líder oposicionista. Tem estado criar fortes dores de cabeça ao caduco regime de José Eduardo dos Santos.

Voltando à magnitude do acto da UNITA no dia 19 de Maio, constatámos in loco que a moldura humana que apoiou a manifestação da UNITA espelha um equilíbrio de forças politicas que não está representado na Assembleia Nacional. Parecendo que não, aquilo foi mais uma demonstração de que as alegações da fraude eleitoral ocorridas em 2008, não foram em vão, como muitos extremistas do regime defendem. Desde o intelectual orgânico João Melo ao “livreiro” João Pinto, passando por Virgílios e Bornitos, os pontas de lanças do regime são unânimes quando se trata de anunciar em alto e bom som a morte da UNITA nas próximas eleições, com uma substancial redução dos seus 16 lugares no Parlamento.

A verdade, porém, é que, não conseguimos formular uma justificação plausível em relação aos 16 lugares da UNITA no parlamento angolano. Considerando que a UNITA sempre foi um partido de massas, como explicar que um partido da dimensão da UNITA só tenha obtido 16 lugares nas últimas eleições? Os centraleiros não conseguiram até agora encontrar uma resposta. Mas, tentaremos contactar o David Copperfield para que nos ajude a encontrar uma solução neste problema hercúleo. Copperfield é mágico, não vale a pena contactá-lo. Bom, então, vamos mesmo questionar a Casa Militar da Presidência da Republica. Quem sabe o General Kopelipa tenha alguma resposta coerente para este “fenómeno”.

Portanto, a manifestação da UNITA deixou às claras a capacidade deste regime de burlar a verdade e pisotear as regras constitucionais estabelecidas. 16 lugares não são de longe o espectro político representativo da UNITA.

Esperamos que a UNITA, os restantes partidos políticos e a sociedade civil tenham aprendido as lições do passado e que prestem muita atenção a este macaco velho que governa Angola. As próximas eleições não podem ser roubadas aos angolanos. Não aceitaremos isso.

Comments
  1. Toni Ndombaxi says:

    Dizem os franceses você pode enganar algumas pessoas por todo o temporário, você pode também enganar todas as pessoas para um determinado tempo, mas não enganar todas as pessoas todo tempo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s