Dos Santos, avôzinho, vai cuidar dos netinhos!

Posted: December 31, 2013 in Direitos Humanos, Estiguem o Imperador, Humor, Opinião

JES en decadência

O discurso com cerca de 15 minutos que gasta uma resma de papel (font size:48?) do Senhor José Eduardo dos Santos poderia até arrancar elogios aos mais incautos que gostam de ser feitos de trouxas, aqueles que não se cansam de ver aquela cara de mendigo desgraçado inspirando piedade e aquele tom de voz de Maria Madalena entristecida e continuam, já adultos, a atribuir-lhe algum tipo de seriedade/credibilidade/honestidade.

Desde sempre que este indivíduo que foge a entrevistas, debates, olhares indiscretos (fugou no funeral do Mandela) e eleições diretas nos habituou a palavras com aspeto de rosas e cheiro de fossa, pois deve ter aprendido que a arte da política é apenas ser convincente ao prometer e das promessas nos alimentaremos até a sua aparição seguinte. Isso pode até ser verdade durante um certo número de anos (julgando pelas democracias maduras entre 4 e 6 anos), mas o JEScaré já terá esticado por demais a corda, tendo quase conseguido a proeza de meter em questão a máxima do Abraham Lincoln mais tarde musicada pelo lendário Bob Marley: “You can fool all the people some of the time, and some of the people all the time, but you cannot fool all the people all the time”. Infelizmente para ele, uma fatia considerável de angolanos cansou-se de lhe outorgar esse kilapi e já não está mais para falinhas-mansas… 34 anos depois!

As fugazes referências aos “cidadãos que muito ainda tinham para dar à Nação” e à abolição da pena de morte e que “o Estado não mata” são de dar a volta ao estômago, sobretudo quando no dia seguinte o miúdo Nito Alves, o Emiliano Catombela e o Alemão foram perseguidos à tiro pelos becos de Viana pelos mal-encarados da PIR pelo simples facto de estarem nas imediações da Comarca de Viana enquanto decorria o motim que deixou 4 mortos.

Não escondemos que ficámos muito intrigados com a frase: “que os seus bons exemplos sejam seguidos pelas novas gerações”. Estará ele a encorajar outros jovens a promover manifestações e a colar cartazes com mensagens políticas
que lhe sejam adversas? Terá finalmente percebido que democracia só o é se houver quem o conteste? Ou estava a ter o seu (falso) momento Mandela?

A última frase no discurso mostra bem quão enraizado está o narcisismo desse mais-velho, mandando uma mensagem de solidariedade para os enfermos que não conseguirão disfrutar da quadra festiva com a saúde e alegria que o momento pede. Basta ver a imagem no cabeçalho e ouvir a voz lânguida reveladora de uma língua preguiçosa e com preguiça de articular, para nos apercebermos que ele está a mandar uma mensagem para si próprio, uma espécie de auto-consolo pelo estado frágil que tem se tornado demasiadamente óbvio e que nos força a pensar com uma seriedade reforçada na nossa Angola pós-JES.

Longe de nós desejarmos que perca o pulso definitivamente, não somos dessa estirpe. Somos antes daqueles que fazem figas para que ele esteja bem vivo para sentar no banco dos réus e responder por todos os crimes cometidos pelo “seu” estado e que ele, enquanto garante da CRA e responsável máximo da Nação, não foi capaz ou não
quis impedir.

Longa vida ao Rei que, coitado, já vai nú!

Abaixo algumas das brincadeiras que protagonizámos com a sua debilitada figura ao longo deste ano de 2013 e que ficaram-se essencialmente pelo facebook.

Zé Kitumba em BCN

JES Fernando NoronhaJES Cabobo BCNJEScaré 01 TSHIRT MPLA LACOSTE MPLA Bandeira NOVA

A série JES’u Superstar: Cap.I; Cap.II; Cap.III; Cap.IV; Cap.V; Cap.VI; Cap.VII;

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s