Final da Terceira Temporada: Julgamento adiado para 8 de Fevereiro

Posted: January 27, 2016 in Denúncia, Direitos Humanos, Julgamento 15+2, Luanda

12596482_964210226993376_1746375813_n

Nova falsa partida, nova sequência de (não) ocorrências que deviam encher de vergonha as nossas instituições, insufladas de um falso orgulho labrego e incoerente que arqueiam em leque qual pavão, sem se darem conta que as penas estão queimadas. O julgamento dos 17, que depois de duas semanas de interrupção com o fito de notificar os elementos pertencentes ao Governo de Salvação Nacional, volta a ser adiado para dia 8 de Fevereiro.

Para além da incapacidade congénita de organização a nível das estruturas e que começa logo no provimento de alimentação aos elementos destacados para ficar de plantão tipo babás que, na hora que a fome aperta, se dedicam à formas ilícitas de acumulação (bem primitiva) de capital “penteando” automobilistas e, sobretudo, motociclistas; na liquidez para os efectivos que fazem a escolta abastecerem os veículos (houve trajectos que se coibiram de fazer por assumida falta de combustível); a hora de recolha dos réus nos seus domicílios, a cada dia uma diferente, algumas pessoas sendo forçadas a despertar com pancadas na porta às 4 da manhã; falta de manutenção nos veículos dos Serviços Prisionais que avariam no caminho (já aconteceu ficarem 3 horas com a distribuição dos réus interrompida até chegar socorro), que pegam de empurrão, com partes “soldadas” a caírem da estrutura; a falta de comunicação do Tribunal com os Serviços Prisionais permitindo que fossem os réus transportados a horas vespertinas desnecessariamente, sabendo de antemão que o Juíz estaria a presidir a outro julgamento (BPC) até às 12 horas; enfim, um sem número de evidências que metem à nu o nível de desorganização que enferma os nossos serviços públicos e nos impedem de ascender em humanidade.

O Tribunal pretende fazer acreditar à sociedade que os declarantes estão deliberadamente a ignorar a intimação de comparecimento no julgamento, autênticos rebeldes, quando está por demais evidente que ninguém terá sido oficial e devidamente notificado. Vai-se agora passar à notificação por editais na imprensa pública, após o que, se houver novo boicote maciço, poderá o Tribunal passar mandados de condução compulsiva para tão eminentes figuras públicas, dentre as quais se contam 6 deputados, dois deles do MPLA. Isso seria certamente muito “engraçado” de ver, pondo à prova os eventuais limites as imunidades que gozam.

Assim, em resumo, na segunda-feira não houve sessão, na terça-feira ouviram-se dois Coronéis que exerceram o cargo de Diretores do DRM (Departamento de Recrutamento e Mobilização) de Luanda, concernente ao crime acrescido de falsificação de documentos de autorização de saída imputados à Luaty Beirão e hoje, quarta-feira, o previsível: não houve sessão, o Estado gastou dinheiro que não tem com toda a logística necessária na realização desses passeios aos quadradinhos com sirenes, voltou a adiar-se por 12 dias a sessão e a lançar embaraço e vergonha sobre o sistema de (in)justiça vigente no país. Será que o excelentíssimo Sr. Ordens Superiores fica satisfeito assim? Nós, cidadãos angolanos, certamente que não. Justiça já e, vá lá, sem pressão.

Comments
  1. Ju Jaleco says:

    …entretanto o mundo esqueceu este caso triste e já quase ninguém fala nele nem quer saber dos 15+2. Espero que Central Angola 7311 não páre de lembrar… Que mundinho feio este em que se vive hoje!

  2. Otiniel Fernandes da Silva says:

    Que vergonha ;-(

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s