Nelson Dibango escreve para o Ministro do Interior

Posted: July 11, 2016 in Luanda

Dibango Tshirt copy

Ao

Senhor Ângelo Tavares

Ministro do Interior

Luanda, 11 de Julho de 2016

Com pesar de ver-lhe carregando este nauseabundo fardo, ciente da oportunidade de mudança sobre esta aberrante crise que vos guia… Cumprimenta com sinceros votos de saúde e felicidade nesta enrascada laboral na qual se vê envolvido….

Nelson Dibango Mendes dos Santos, free lancer criativo de 33 anos, tido como ativista revolucionário (revú) no processo 15+ duas.

É uma honra escrever para o senhor, faço com muito prazer e algumas dores na cabeça próprias do exercício. Queria escrever para o ti Zé mas fiquei com medo que pela simplicidade ou complexidade do assunto pudesse a vir sentir-se mal e como tenho tido informações negativas quanto as suas condições fisiológicas e/ou psíquicas não quis ser o causador de um eventual agravamento da sua situação. Longe disso quero mazé que ele seja muito feliz, cuidando dos seus netos, gozando de uma merecida aposentadoria. Estranho e indignante são estas forças sociais que parecem querer vê-lo a morrer escravo do poder, da conjuntura, do trabalho forçado, das incertezas do medo e do ódio que a sociedade vai refletindo fruto da insegurança social gerada pelo fosso de desigualdade perpetuada pela elite que governa, forçando o conceito de ditadura sobre o estado e ditador sobre o velho.

Kota, escrevo diretamente para ti por esta via, para facilitar o teu complexo trabalho. Expondo por esta via, há maior possibilidade de informar os agentes envolvidos no assunto que me aflige(são bwé atentos às informações das redes sociais) e se apercebendo desta carta, provavelmente vão tentar regularizar a situação sem precisar esperar as ordens superior do senhor ou do ti Zé.

Senhor ministro, durante a minha detenção, além dos meios que carregava comigo prenderam também, da residência onde vivia e onde vivem dos meus pais, vários artigos, qualquer coisa como: 5 computadores (2 desktop Hp e i-mac/ 3 laptop um macbookPro retina um acer e um Hp) 5 impressoras, 2 telefones, modem de internet, valores monetários, documentos pessoais, documentos do veículo (incluindo as chaves) documentos de clientes, livros, revistas e jornais.

Entenda um pouquinho de como pessoas estão a ser prejudicadas:

Meu pai é oftalmologista e em seu computador pessoal trabalhávamos juntos na construção da base de dados para seus pacientes acumulados em mais de vinte anos de trabalho. Também trabalhávamos num software para a gestão e administração social e económica da família com base na árvore genealógica de quatro gerações. O papoite também usava o computador para jogar solitária, ouvir músicas antigas, fazer pesquisas na net e participar em redes sociais.

Minha mãe gastava bwé de saldo vendo e pesquisado vídeos musicais antigos no youtube. Também aprimorava receitas antigas e pesquisava receitas novas para seus serviços de gastronomia e/ou buffet. Apreciava ficar no chat ou em video-conferência com suas amigas no exterior do pais.

A minha esposa além de documentos laborais e académicos, tinha o maior acervo fotográfico da nossa relação, também juntava vários vídeos musicais gospel, infantis e de relaxamento que usávamos para fazer dormir o bebé. Tinha vídeo-aulas de culinária, decoração maquiagem e jardinagem.

Tenho um irmão Kudurista um primo que canta Hip hop (os músicos) usavam o computador para ensaios, multimídia e estudos.

Os meus irmãos mais novos (20 e 21 anos) usavam o computador como parte integrante de seus corpos, um é voltado ao hardware e outro ao software, juntos constituem o time de técnicos da família. Adoram vídeo jogos filmes ou multimídia, também tinham um monte de vídeo aulas de informática. Criaram comunidades nas redes sociais voltada a estes assuntos.

Programei um computador para o meu primeiro filho desde aos três anos com jogos interativos (multimídia) educacionais de sua faixa etária. Fiz isso para lhe desvincular da tv.

A Kátia (irmã) além de praticar de artes e oficio é escritora, poetiza, fotógrafa e designer… free lancer. Tem dois livros publicados e outros escritos, participa de forma ativa nas redes sociais partilhando sua arte, sua cultura no mundo. É integrante de vários movimentos artísticos. Seu computador esta cheio de dados; projeto sociais, económicos, artísticos, laborais e familiares. Bem parecido com o conteúdo que tinha no meu computador.

Diante desta realidade peço que se reponha a legalidade, alertando sobre a presumível dívida monetária que a sociedade paga de várias formas pela ignorância sistematizada de suas instituições.

Alerta: Os valores dos artigos podem rondar aos $ 10.000 / O seu conteúdo comercial soma cerca de $ 100.000 / poderia movimentar em um ano mais de $ 1000.000 e expandir-se ia bem mais se acrescessemos algumas variáveis como os 15 mais uma infinidade de pessoas atingidas por este tipo de negligência, danos morais, sociais, etc. Os valores totais seriam tão altos que nem o OGE supriria. Valores que realmente existem e a sociedade paga em forma de decadência. É este o preço da ignorância na qual há muito investimos, pensando que a educação é cara.

Sem outro assunto de momento reiterando os votos de transformação para saúde e felicidade, Cumprimenta-o

Nelson Dibango Mendes dos Santos

Luanda, 11 de Julho de 2016

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s