CTV: No Lobito, Administração burla comunidade rural pt.1

Posted: October 21, 2016 in Luanda

Nesta reportagem irão conhecer a comunidade do Bº do Golfe, jundo à via Cajendende, cidade do Lobito. Mais uma comunidade que se encontra em conflito com o poder do Estado pelas terras que alegam ser suas, o que é secundado pelas autoridades tradicionais.

Segundo moradores, as terras já eram habitadas e trabalhadas pelos avós com o crescimento centrífugo de Benguela, o que era antes um pedaço de mato, tornou-se um apetitoso pedaço de terra às portas da cidade.

Estas famílias cresceram aqui e, devido a seca que já leva 5 anos inviabilizando o cultivo, decidiram então construir moradias definitivas em alvenaria.

Sabendo que só o podiam fazer na posse de título de propriedade, encetaram o processo de legalização com a Administração local, com auxílio de um então amigo da comunidade,o senhor Mateus Catchiama. Este passou-lhes a perna e tentou vender o que não lhe pertencia a outro indivíduo que os moradores chamam apenas de Zezito.

Zezito foi iludindo as famílias enquanto se aproveitava da boa-fé destas para lhes extorquir dinheiro e víveres, alegando que era o Governador que o exigia em troca da legalização do terreno. Obviamente atingiu-se um limite de paciência e ao lhe serem cobradas justificações, Zezito mostrou o seu verdadeiro rosto: começou a aparecer no local fortemente policiado para abrir uma verdadeira guerra contra os moradores que, não se acobardando, lhe foram dando réplica até hoje.

Na segunda parte desta reportagem vamos ver como o Administrador atual, senhor Alberto Ngongo, tem estado a favorecer uma funcionária, Nádia Furtado (familiar de gente “muito importante” no país), em detrimento do direito consuetudinário que auferem estes pobres cidadãos.

O caso é tão grave que envolve inclusive o nome do antigo Governador, General Armando da Cruz Neto e o Tribunal Provincial de Benguela que terá, em completo arrepio da lei, confirmado a cedência destes 12 Ha de terra à cidadã supracitada.

“A democracia é irreversível” alguém disse muito recentemente. Gostaríamos tanto de acreditar.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s