Archive for the ‘Noticiário da Central’ Category

Os moradores no Bairro da Cerâmica no município de Cacuaco precisam de apoio o mais urgente possível. A falta de acesso à zona no tempo chuvoso obriga as pessoas a inventar soluções menos seguras para poder atravessar a água, que pode a qualquer momento causar mais mortes. Para piorar a polícia que já mal circulava nos bairros agora deixou de entrar por falta da travessia, e os delinquentes vão aproveitando-se da situação.

Convidamos os funcionários públicos de Cacuaco a visitar a vala, ver e planear uma solução.

As últimas chuvas de 8 ao 16 de Dezembro acabaram por destruir o único suporte que possibilitava o movimento de pessoas e veículos. O caso já tinha sido analisado e apresentado na Central em Abril, veja aqui: https://centralangola7311.net/2015/04/03/vala-de-drenagem-come-pessoas-em-cacuaco-com-video/

Antes da chuva a drenagem era feita através de quatro (4) manilhas (vejam a foto com a gente a passar por cima dessas manilhas). Tinham sido colocadas pelos moradores para possibilitar o acesso para esta zona, visto que é uma via que dá acesso do bairro Paraíso à Vila de Cacuaco e vice-versa. Adicionalmente também servia para evitar mortes nas imediações da vala original no caso de acontecerem fortes enxurradas. Com a última chuva foi escavada uma nova vala em paralelo às manilhas, assim acabando com a estrada.

As primeiras 5 fotos estão postas na ordem geográfica, enquanto a 6a segue a número 5 mas com a situação visualizada do lado oposto. Já as fotos 7 e 8 foram tiradas do lado oposto do número 1 ou 2. Nestas últimas as manilhas não são visíveis, as pessoas estão em cima delas e a nova vala encontra se em frente da câmara. Foto 2 apresenta o problema: as manilhas continuam no local ao lado direito, mas deixaram de cumprir o seu papel. Criou-se a vala enorme que está a impossibilitar milhares de pessoas de atravessarem de um lado para outro.

This slideshow requires JavaScript.

A improvisação é feita por jovens com bastões de ferro, mais tarde trocado pelas chaparias de carro. As manilhas já não estão seguras e se cair mais uma próxima chuva será bem provável que vão se embora também. Para os moradores atravessarem a drenagem têm que correr o grande risco de serem levados pelas fortes correntezas que esta água está a trazer nos dias de chuva. Os alunos são obrigados a faltar a escola. Ainda em Abril foi constatado que alguns morreram mesmo com as mochilas nas costas.

É culpa do cidadão? Ou podemos esperar uma ajuda das autoridades responsáveis dum departamento local para a área de Planeamento e do Desenvolvimento Territorial ou da Administração do Território, ou ainda do Urbanismo e Habitação, ou pode vir da Energia e Águas?

“Nós queremos que salvem as nossas vidas agora, e não nas campanhas eleitorais”

18 de Dezembro 2015

CA7311

Esta notícia é originária da central ideológica do regime que em várias ocasiões já utilizou o Expresso para este tipo de exercício e em nada corresponde à realidade, visa apenas criar clima para impor este resultado. Os números que a central do Movimento pela Verdade Eleitoral está a divulgar, com base em informações dos fiscais de mesa, não corroboram estas afirmações. Há uma preponderância do Mpla, seguido de perto da Unita, um pouco mais abaixo vem a CASA-CE como terceiro mais votado e depois residualmente a Fnla e demais formações. A única coisa que a notícia tem de verdade pode ser o nível de abstenção que ronda os 40%, depois de ter sido 8% (1992) e 18% (2008). Numa primeira projecção pode-se atribuir uma média de 150 votos, por mesa, ao Mpla, cerca de 100 a Unita e perto de 25 a Casa-ce. Assim sendo, após a contagem das 6.438 mesas (2.864.662 eleitores) o Mpla vai ter cerca de 1.100.000 de votos, a Unita cerca de 650.000 e a Casa-ce perto de 200.000, o que quer dizer que o resultado provincial, em termos de deputados será de 3-2 ou, na melhor das hipóteses, para a Casa-ce, esta rouba um deputado ao Mpla.

Live video from your Android device on Ustream

E não esqueça de visitar também o website www.angolaeleicoes2012.com, para ver as denúncias enviadas ao nosso portal irmão e para ver também os resultados provisórios que começam a ser enviados ao site.

Bem-vindos ao Zeitgeist Central Angola, um resumo semanal (esperamos que seja mesmo semanal!) das principais notícias da imprensa nacional e internacional relacionadas com a nossa luta diária: a luta por uma angola verdadeiramente democrática. Vide abaixo:

Cimeira Multipartidária da Juventude exigiu realização de eleições livres e transparentes

Líderes juvenis de seis formações políticas juntaram-se a mesma mesa na tarde desta terça-feira para analisarem o decurso do processo eleitoral. Eleições livres justas e transparentes são algumas das recomendações saídas no certame.

Luanda: Polícia dispersa antigos colegas que exigem reenquadramento

Mais de 500 antigos efetivos da Polícia Nacional afastados desde 2008, concentraram-se na manhã desta terça-feira defronte ao edifício do Ministério do Interior para exigirem a sua recolocação. Os manifestantes foram dispersos pelas forças de segurança.

Entrevistas de Luaty na imprensa nacional internacional

Why the Angolan Government Framed and Beat Rapper Ikonoklasta

Angolan/Portuguese rapper Luaty Beirão aka Ikonoklasta, is an outspoken opponent of Angola’s long-term president José Eduardo dos Santos and his MPLA government. Beirão spoke candidly about the state of Angola’s politics to Okayafrica’s Lukasz Polowczyk from the safety of Portugal, where he’s currently awaiting trial for drug smuggling, a charge the Angolan government framed him for. Beirão says that he will die fighting the government for justice, adding that he is headed back to Angola on July 25th to continue the protest ahead of presidential elections there on August 31.

Collective Actions are Incredibly Contagious

Few people today are willing to risk their reputation, or life in the spotlight since Fela Kuti and John Lennon who thought their art should have purpose even if controversial. Being a militant political performer as a musician has disappeared into the background. Luaty Beirão is Ikonoklasta, a driven and culturally significant hip-hop musician fighting against the abuse of power in Angola. Catching onto the trends of the Arab Spring, in 2011 Angolans were challenged by an anonymous internet post to try and overthrow Eduardo dos Santos and the MPLA. It became clear to the people of Angola after the Government’s reaction of fear to the post that their lives were being run under the guise of democracy, and they soon began to fight against the manipulative dictatorship. Getting arrested for his performances, lyrics, and being set up for the smuggling of drugs, Luaty continues to display the unjust acts hidden from the general eye. He feels it is his duty to demand the freedom to live; live without worrying about his securities or the safety of his friends, family, and country. He teaches us that bad things may happen, but nothing is worse than losing who you are at the cost of your freedom.

Entrevista com Luaty Beirão (Maka Angola)

Numa tarde amena, em Lisboa, o Maka Angola sentou-se à conversa com Luaty Beirão, músico de hip hop, também conhecido como Ikonoklasta e como Brigadeiro Mata Frakus. Filho de João Beirão, antigo presidente da Fundação José Eduardo dos Santos (FESA), Luaty é também um conhecido participante do movimento jovem de contestação que tem vindo a crescer em Angola desde 2011.

Charitable Musicians: Hip-Hop Rapper Ikonoklasta Protests Against The Angolan

In early 2011, as the turmoil from the Arab Spring protests made their way into pockets of Africa, Angolan youth began taking to the streets themselves. At the heart of their ongoing dissatisfaction remains the 32-year reign of President Jose Eduardo dos Santos, who protesters cite as the cause of mismanaged oil revenues, suppressed human rights, and widespread poverty, amongst other corruptions.

Entrevista ao Novo Jornal

A seguinte entrevista foi feita via email por uma jornalista do NJ. Foi-lhe dado um tempo limite para responder para que fosse exequível a publicação da mesma. Luaty cumpriu os prazos, tendo enviado a entrevista tal qual partilhamos aqui, no dia 24 de Junho. O NJ acabou por decidir não publicar a entrevista. Censura? Deixaremos que seja o leitor a julgar, a verdade é que o público que ainda se cinge ao formato papel ficou privado do testemunho do Luaty em relação aos acontecimentos que o têm afetado no último ano e meio, a si e aos seus companheiros de percurso.

Canal Q – É Proibido Ver Isto (Vídeo)

A Central Angola tem voz!

Os manos e manas da Central Angola 7311 têm o prazer de anunciar o lançamento do seu novo programa radiofónico. Chama-se Zwela, tem a duração de uma hora, e será emitido na Rádio Despertar desde as 14h00 às 15h00, todas as segundas e quartas.

A primeira emissão será hoje (segunda-feira) às 14h00. Como a Rádio Despertar está agora disponível online, todos os interessados poderão ouvir o programa em ‘live stream’ e em directo acedendo ao site da referida Rádio: http://radiodespertarangola.net/. Agora, a voz da Central e dos angolanos poderá ser ouvida em qualquer parte do mundo.

Basta ir ao endereço web acima citado que a rádio começa a tocar por si: prestar atenção ao canto superior direito da página web.

Contamos contigo!

Saudações povos.

Temos hoje o prazer e a honra de vos introduzir uma nova forma de activismo da malta da Central. A ideia tem forçosamente de ser creditada ao nosso repórter, Timóteo João, que no-la sugeriu há algumas semanas. Desde então temos tido uma equipa exclusivamente dedicada ao tratamento visual e conteúdo das matérias, ocupando-se de tornar esta ideia uma realidade. Temos estado ansiosos por este dia, o dia em que o primeiro de muitos capítulos vê a luz do dia e se torna disponível para todos vocês, para que o consumam, partilhem, comentem, critiquem.

Neste primeiro episódio fomos cobrir um assunto de actualidade, a comunidade formada pelos habitantes dos chamados “prédios dos sul-africanos”, que serão forçados a abandonar as suas residências até ao dia 27 deste mês, independentemente da sua (não) conformidade com os termos propostos. Foi-lhes dito que iriam para um bairro com condições “condignas” nos Zangos 3 e 4, mas postos lá, não foi nada disso que constataram. Fizemos questão de perguntar aos moradores se desejavam manter anonimato e ter as suas caras apagadas com efeitos de pós-produção, mas todos eles sem excepção responderam que “NÃO!”.

Bom visionamento e sejam benvindos ao nosso noticiário, caros telespectadores.